Imagine que fosse possível ao seu Médico Dentista visualizar em 3D a estrutura óssea da sua boca, rodar esta imagem, observá-la por dentro, de cima, de baixo ou por trás. Que fosse possível certificar-se que os seus implantes são colocados precisamente no sitio certo e pretendido. Diagnosticar uma fratura duma raiz não detetável numa radiografia normal. Avaliar a perda óssea nos 360 ° em torno de todos os dentes num paciente com problemas periodontais (doença das gengivas). Avaliar a relação precisa entre as raízes dos seus dentes  durante um tratamento ortodôntico.  Tudo isso e muito mais, é agora possível e com uma fração da radiação necessária  comparado com os exames TAC convencionais.  Esta tecnologia encontra-se agora ao seu dispor na Clínica Médica Dentária Dr. Fernandes e chama-se Tomografia Computorizada de feixe cónico.

Ultimo grito tecnológico no diagnóstico, planificação e tratamento dentário. Esta nova tecnologia permite a reprodução de imagens tridimensionais dos tecidos ósseos com elevada precisão. Permite a obtenção de imagens idênticas ás obtidas com um tomógrafo tradicional mas com uma dose significativamente reduzida de radiação, permitindo a sua ampla e variada utilização na Medicina Dentária.

Consiste num emissor de raios-x e um recetor que rodam em torno da cabeça do paciente. A fonte emissora emite um feixe cônico enquanto gira, permitindo a captação por parte do recetor de mais de 500 imagens distintas. Os dados recolhidos são então convertidos pelo software numa imagem tridimensional das estruturas anatómicas.

As imagens resultantes são em tempo real, de alta resolução, com grande detalhe e com a mínima distorção e artefactos,  logo 100% fiáveis. Elas são altamente manipuláveis e de grande versatilidade permitindo a sua aplicação em numerosas áreas da Medicina Dentária. As estruturas poderão ser visualizadas de todos os ângulos, com diversos filtros, sendo possível a obtenção de cortes (fatias) das mesmas.

Com uma baixa emissão de radiação, aliado a um tempo de exposição reduzido e a possibilidade de escolhermos a zona que pretendemos analisar e irradiar, este novo exame torna-se muito mais seguro do que os tradicionais exames de tomografia.

A sua aplicação encontra-se em crescendo, estando a sua utilidade já amplamente comprovada na prática clínica da Medicina Dentária. Já decisivo no diagnóstico, planificação e tratamento na cirurgia oral, permitindo uma melhor avaliação de:

  • patologias (ex. quistos);
  • dentes inclusos;
  • estruturas envolventes;
  • implantologia, na colocação de implantes, na avaliação das características ósseas (qualidade, altura, espessura)
  • ortodontia, numa melhor compreensão das relações dos dentes entre si e com as estruturas envolventes, importantíssimo para o diagnóstico e prognóstico do tratamento;
  • endodontia, na análise das estruturas radiculares, de fraturas radiculares e na determinação das causas de muitos insucessos após a desvitalização de um dente;
  • periodontologia, na análise do nível óssea e a sua perda por reabsorção;
  • na oclusão, com  visualização minuciosa das articulações TMJ;
  • entre outras.